VIVER VALE A PENA!

(Ser Luz é Ser Feliz) 

Nem sempre as coisas são como parecem ser.
Turbante na cabeça não significa maestria alguma.
Renegar a vida humana nada tem a ver com iluminação.
Negar o valor do corpo – veículo sagrado – é desrespeitar a Terra.
Não ver o sagrado em tudo, é ser profano!
Conhecimento não é sabedoria; servilismo não é humildade.
Mais vale o materialista que realiza algo do que o espiritualista teórico.
Um abraço cálido passa mais luz do que um diploma de mestre bioenergético.
Duas montanhas são imensas, mas não podem se abraçar. Duas pessoas podem.
Escalar o Himalaia não significa iluminar-se. Cabras fazem isso diariamente.
Ir à Índia ou a Machu Picchu não é o mesmo que viajar pelo céu do coração.
Carma não é vingança divina e reencarnação não significa descer para sofrer.
Quem carrega o inferno em si mesmo, a tudo condena…
Falar de perdão não significa perdoar. Há pregadores religiosos cheios de ódio.
Sair do corpo é normal, fenômeno estranho é viver sem horizontes maiores…
Para quem congelou o próprio coração, o mundo inteiro parece o Ártico.
Quem está triste, vê tudo cinzento. No entanto, além das nuvens, o sol brilha…
Que manto dourado ou roupa nova poderá fazer brilhar um coração egoísta?
Não importa quem você foi em outra vida. Vale mais o que você faz agora!
Viver é muito mais do que só existir. E fica melhor quando se é feliz.

– Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
(Texto extraído do livro “Flama Espiritual” – Edição de autor – 2008.)

Enviado por: IPPB – Newsletter <newsletter@ippb.org.br>

Anúncios