Sabedoria de Kabir [11]

Consumi dias e noites em distrações

E agora sinto grande medo.

Tão alto está o palácio de meu Senhor

Que hesito diante de suas escadas.

.

Mas não posso ficar paralisado,

Se aspiro desfrutar de sua presença.

Meu coração deve ser chama pelo Amado,

Meus olhos devem ser brasas por amor.

.

Kabir diz: Amigos, escutai-me!

Ele conhece o coração de quem o ama.

Se não queimardes de amor pelo Amado,

De que vos servem as cinzas sobre a testa?”

.

*Kabir, grande mestre e poeta indiano do século XV, discorreu, em linguagem acessível, sobre o amor místico e a comunhão com o divino. Kabir não se definia como hindu, muçulmano ou sufi. Ele desprezava credos, denominações e ascetismos, levando a filosofia oriental a um novo rumo.

FonteKabir, Cem Poemas, selecionados por Rabindranath Tagore. José Tadeu Arantes, Ed. Attar, 2 ed., 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s