Sabedoria de Kabir [12]

“Conta-me, ó cisne, tua história

De onde vieste? Para onde vais?

Em que margem pousarás para descansar?

A qual meta entregaste o coração?

.

Esta é a manhã da consciência!

Desperta! Segue-me! Voemos juntos!

Há um lugar livre da dúvida e da tristeza,

Onde o terror da morte não impera.

.

Lá florescem bosques em eterna primavera,

E sua fragrância nos impulsiona mais e mais.

Imerso nela, o coração, qual abelha, se inebria.

Imerso nela, já não quer outra alegria. “

.

*Kabir, grande mestre e poeta indiano do século XV, discorreu, em linguagem acessível, sobre o amor místico e a comunhão com o divino. Kabir não se definia como hindu, muçulmano ou sufi. Ele desprezava credos, denominações e ascetismos, levando a filosofia oriental a um novo rumo.

FonteKabir, Cem Poemas, selecionados por Rabindranath Tagore. José Tadeu Arantes, Ed. Attar, 2 ed., 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s